quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Erros II

Às vezes erramos, deturpamos as coisas, ou as transformamos em nossas mentes para que se tornem mais confortáveis para nós. E o que fazer quando isso se torna repetitivo... e contraditório, e quando ao mesmo tempo que as coisas se distorcem elas se estabilizam e você às enxerga com toda a clareza?
E aí?
O que fazer?
E quando você tenta com todas as suas forças ser feliz dentro de você, quando você busca a paz no seu espírito, aliás..e quando você simplesmente não busca nada, deixa as coisas fluirem e tudo o que você consegue é desespero?
E quando você tem um minutinho de paz, respira fundo, sente seu corpo alinhar-se, mas logo percebe que aquilo durou apenas míseros segundos?
E quando você tem a sensação que todo o esforço que você fez não valeu de nada... mas aí olha para trás e o que consegue ver é você mesmo a procura de ser alguém melhor, aí você sente orgulho de si ... mas logo em seguida você olha onde chegou, e vê que está no mesmo lugar, debaixo da mesma árvore.
São erros, muitos erros... estou aqui para errar? sim porque cometo muitos... e o pior é que muitos deles só eu sei que os estou cometendo.
Erros, será que estou certa em saber que estou errada?
Estou perdida em mim.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Observações

Nos meus pés doloridos eu trago os fluidos do passado.
eles me seguiram e agora tornam-me turva.
Olhos pequenos, mente aberta, coração apertado.
Já não me machucam os sapatos apertados.
Não quero ouvir motivos ou respostas.
Preciso aprender a ler o silêncio.
Não tenho mais dúvidas.
Sentimentos aleatórios, dores constantes,
Vontades me cercam, minhas mãos tremem.
Olhos pequenos, mente aberta, coração queimando.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Hoje

Hoje as árvores se pintaram de um verde escuro sombrio,
Elas me enganaram, hora elas eram verdes, hora elas eram cinzas.
A noite tinha um céu hora nublado e logo depois aberto com a lua brilhando.
Ela me enganou.
A chuva que caía intermitentemente também me enganou, elas caíram em mim, hora quentes, hora frias.
As pessoas caminhavam nas ruas, hora apressadas, hora lentas.
Hoje, eu olhei a minha volta e tentei gravar tudo que via.
As luzes, os sons, as cores que as luzes fabricavam.
Hoje eu me encontrava na rua, e era confortável!
Hoje tentei não ter ninguém, hoje tentei não ter você.
hora convicta hora em dúvida... mas sem você!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

co- ra-ção

 
é um coração de corda
não existe pilha, bateria ou tomada que
o retome
 
é a força natural que o move
que o faz pulsar
e assim estar vivo
 
Apesar da força  que o cerca
o ar falta, a mão não dá corda
nada de pulsar
 
Ou de repente o pulsar vem tão violento
tão esmagador que só resta
a dor
 
é um coração do amor



Autora: Fabula Complexa

segunda-feira, 11 de julho de 2011

O sol que brilha até meia noite

Estávamos na calçada
ele me olhava,
conversávamos naturalmente,
Eu não conseguia enxergar a rua, nem os carros,
A presença dele irradiava uma magnífica luz,
Como o próprio sol
Podia jurar que o ruído dos carros e das pessoas saíam de dentro de mim.
Algumas vezes, simplesmente
não ouvia mais nada, só os meus pensamentos escuros e tristes,
Mas ele estava comigo, e
De repente eu também não conseguia mais saber quem eu era, e por alguns segundos tinha plena consciencia disso.Para mim, uma simples caminhada ao seu lado foi o suficiente para que o dia se tornasse brilhante como a Luz.
e para clarear o íntimo do meu coração que está obscuro pelo injusto desejo.
Naquele dia, havia fogo na lareira, os celeiros estavam cheios, havia festa na minha casa, havia esperança no meu coração, naquela calçada haviam diamantes incrustrados e também eu vi, por entre nuvens e estrelas,
 o sol brilhar até meia noite.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Início

Começando.
dizem que temos que começar certo
Para terminar certo.
Mas quem disse que eu quero terminar?
Quero estar aqui, com minhas borboletas no estômago, meu sono e tédio.
E depois se eu estiver feliz quero ver até onde isso vai dar.
Tudo anda meio que girando ao meu redor, o ar, o sofá. Vertigem...
Enfim comecei, e comecei tanta coisa, coisas que eu não sei mesmo no que vai dar.
Só sei que comecei e estou adorando!
Adoro blueberries!!!